Aceita um cafézinho ?

04/07/2019 15:47

“Aceita um café?” É uma das frases mais comuns ouvidas no mundo inteiro. O café pode ser um apaziguador de ânimos, um consolo em horas difíceis, uma pausa entre reuniões, uma companhia durante uma espera, uma gentileza dos anfitriões ou pode simplesmente estar presente em outras ocasiões de cordialidade que exige a sociedade. Gentilezas à parte, a bebida “mágica” transformou-se em hábito que tem o poder de aproximar as pessoas desde épocas bem remotas em todo o mundo.

Aqui no Brasil, temos uma grande paixão pelo café, somos considerados o maior produtor e exportados de café no mercado mundial, posição que ocupamos há mais de 150 anos. E, ocupamos o segundo lugar entre os países que mais consomem a bebida.

Café é uma paixão mundial, não é mesmo?

Hoje no Brasil, existem diversos produtores do grão e consequentemente muitas marcas e tipos de café para saborear. Os tipos são divididos entre o Café Tradicional, Superior e Gourmet, que possuem selos específicos após serem analisados e classificados pela ABIC (Associação Brasileira da Industria de Café).

Com essa variedade, basta dar uma passada ao supermercado e ver a glândula cheia, e com isso dificultando na hora de escolher.

Por isso, fizemos algumas pesquisar e selecionamos algumas dicas para fazer um boa escolha ao comprar os cafés tradicionais de supermercado.

Procure pelo selo de qualidade da Abic: Embora a legislação não imponha nenhum selo às marcas, algumas adotam a chancela criada pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Por meio de notas (numa escala de 4,5 a 10).

Veja se a embalagem traz o nome da fazenda produtora: Dificilmente uma fazenda vai querer associar seu nome a um produto de má qualidade.

Fique atento à data da torra: O café, a partir do momento em que é torrado, mantém suas características por não mais que um mês, após isso eles começam a entrar em oxidação e perdem seu aroma.

Evite torras muito escuras: Para uma bebida de melhor qualidade, sempre vale dar preferência a grãos de torra clara ou média. Em torras muito escuras, o resultado é uma bebida com amargor pronunciado. Por isso, é necessário usar muito açúcar.

Em casa: Café tem que ser moído na hora, todo mundo sabe. Mas, como são poucos os que têm moinho em casa, dá para comprar o pó e armazená-lo por, no máximo, sete dias.

Dicas extras:

  • Sempre mantenha seu café longe da luz, pois ela acelera seu processo de oxidação, o que “rouba” o sabor da bebida;
  • As melhores embalagens, independentemente do formato (grão, moído ou em pó), são hermeticamente fechadas e podem ser acomodadas em temperatura ambiente ou na geladeira antes de serem abertas;
  • Depois de aberta a embalagem, transfira o café para um pote de vidro com vedação bem segura (aqueles com silicone na tampa são ideais) e o consuma o quanto antes – à medida que o tempo passa, ele vai perdendo suas características;
  • Antes de passar o café, escalde o filtro de papel. Escalde, descarte essa água quente e então proceda com a preparação de seu cafezinho.

E aí, gostou do nosso post? Deixe seu comentário e compartilhe sua experiência com a gente!

Ah, pra quem ainda não sabe a Tebel está no mercado há mais de 38 anos, distribuindo materias para escritório, papelaria, limpeza, copa e muito mais... Então aqui vai um convite.

Que tal dar uma olhadinha no nosso site CLICANDO AQUI ? Acesse e descubra uma infinidade de produtos que temos disponíveis!

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: